Terça, 14 Dezembro 2010 01:48

A origem da agressividade

Avalie este item
(1 Voto)

Talvez seja simplista por demais atribuir a uma única causa um comportamento agressivo persistente. Enquanto uma linha de psicólogos afirma que a agressividade se origina na frustração, médicos procuram por causas químicas, como maiores ou menores descargas hormonais. Recente trabalho científico chinês relaciona partos difíceis (a forceps), com aumento do comportamento agressivo infantil, sendo o hormônio cortisol, liberado em situações de estresse, o fator responsável pelo problema.



 

Se a mesma situação for pesquisada por sociólogos, as condições sociais da família e seu ambiente serão apontadas como motivações, enquanto religiosos apontarão para a destruição do núcleo familiar como causa de praticamente todas as mazelas da sociedade. Quanto aos animais, se sabe que a solidão na infância é traumática, e que filhotes retirados do convívio da mãe e da ninhada muito cedo costumam ter problemas comportamentais. Este desmame precoce interessa à alguns criadores, para que os cãezinhos possam ser vendidos e transformados em dinheiro mais rapidamente.

Já as correntes de ferro, ligando as coleiras às casinhas, são reconhecidamente indutoras da agressividade canina e podem significar frustração da liberdade ou do contato mais próximo com os humanos.

Porém todas estas diferentes opiniões, sobre a origem da agressividade, se encontram em pelo menos dois pontos básicos. O primeiro, que provavelmente não só a agressividade como também outros traços da personalidade humana ou animal tem origem multifatorial, e, portanto, todas as profissões citadas têm sua razão. O segundo ponto de concordância, é que as feridas ocorridas na infância deixam cicatrizes para sempre.

Dai deduzo que se não podemos mais curar emocionalmente a nós mesmos, que então tentemos ao menos proteger nossas crianças, ou nossos filhotes, se ambos já não estiverem irremediavelmente feridos.

Veterinário Wilson Grassi

Lido 6799 vezes