Quarta, 10 Novembro 2010 16:49

Vidas Paralelas

Avalie este item
(1 Voto)

Antônio nasceu em berço humilde, teve uma criação rude, cresceu, ficou um homem forte, física e emocionalmente. Separou-se da família, se mudou para cidade grande e trabalhou duro. Nunca mais teve notícias dos irmãos.

Mel nasceu nos fundos de uma oficina mecânica, em parto difícil, com mais 9 irmãos, dos quais foi separada e nunca mais viu.

Após dar muito duro, Antônio comprou um terreno na periferia e construiu sua casa. O lugar era tido como perigoso e ele decidiu colocar um cachorro no quintal para cuidar do patrimônio.

Mel foi parar ainda filhote neste quintal e ganhou este nome, pois seu pêlo era dourado. Cresceu, ficou uma cadela grande, porém magra, mas cumpria seu papel. Guardava a casa dia e noite.

Antônio levou anos para terminar a construção do seu imóvel. Mel tinha uma casinha simples, de madeira e que ficava no tempo. Passava frio, mas ainda assim, preferia dormir na soleira da porta, para guardar seu dono mais de perto.

Antônio teve um filho, o qual ensinou que homem de verdade tem que ser duro.

Mel teve uma cria, que tratou com amor, mas que pouco tempo depois do parto foi-lhe retirada, colocada em uma caixa de papelão e desapareceu.

Os anos passaram para os dois.

Mel envelheceu e teve um câncer de mama que, sem tratamento, ulcerou.

Antonio levou Mel apenas uma vez a um veterinário, que disse que o tratamento seria complicado.

Antônio não gostava de fraquezas. Entendeu que a cadela estava velha e que não valeria à pena gastar dinheiro e tempo com ela. Também não poderia contar mais com a cadela para guardar seu quintal.

Mel foi parar no porta-malas do carro e de lá, sem entender nada, foi deixada na beira de uma estrada, longe de casa. Dias depois, vagando desorientada, atravessou a via tentando reencontrar Antônio e foi atropelada. Sentiu dor e solidão.

Antônio ganhou outro cachorro do mecânico e o colocou para cuidar do quintal, na casinha que antes era da Mel.

Mel agora, além do câncer, tinha fraturas em duas patas e não conseguia mais andar, permanecia caída, na beira da estrada.

Antônio se aposentou e seus rendimentos diminuíram.

Mel foi resgatada por um protetor de animais sem dinheiro, mas que percorreu vários veterinários, explicando a situação, até encontrar um que se dispôs a ajudar.

Antônio ficou viúvo, teve problemas de saúde, e começou a depender do filho para tudo, inclusive para sua higiene.

Mel foi operada do câncer e das fraturas. Após 90 dias de tratamento voltou a andar.

O filho de Antônio aprendeu com o pai a não gostar de fraquezas, e colocou-o em um asilo. Achou que não compensava gastar com uma enfermeira, pois o pai já estava velho. Pegou para si a casa que o pai construiu.

Mel se recuperou fisicamente, mas não se esquece de Antônio e sente muito a sua falta, pois o serviu por muitos anos.

Antônio não se lembra do que aconteceu há minutos atrás, mas se lembra de coisas antigas, e que teve uma cadela chamada Mel, que guardava bem o seu quintal.

Mel teve sorte, o protetor que a resgatou conseguiu uma família que a adotou. Engordou pela primeira vez na vida, recebe carinho e tem companhia humana. Hoje dorme dentro de casa, sobre um tapete macio e perto da lareira.

Antônio que sempre foi forte emagreceu muito. Hoje dorme em um colchão fino e tem uma coberta puída. Está há 2 anos sem receber visita do filho e reclama muito para si mesmo, que sente frio e solidão.

 

Veterinário Wilson Grassi 

Lido 6469 vezes