Segunda, 17 Março 2014 17:18

Obesidade também é realidade em cães e gatos

Avalie este item
(0 votos)
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Segundo dados atualizados, no Brasil existem aproximadamente 37,1 milhões de cães e 21,3 milhões de gatos. O país é a quarta maior nação do mundo em população total de animais domésticos e a segunda em cães e gatos.

Os dados apontam que a busca por animais domésticos aumenta a cada ano. Mas para tutelar um animal – seja gato ou cão – são necessários diversos cuidados, inclusive com alimentação. De acordo com a Associação Médica Veterinária Americana, a estimativa é que 30% dos cães e 25% dos gatos sejam obesos. E as principais causas estão relacionadas aos fatores hormonais, causas hereditárias, castração e raças.

Nos cães, raças como Labrador, Beagle, Bulldog Inglês, Cocker Spaniel, Golden Retriever, Dachshund, Basset Hound, Pug, Schnauzer, Rottweiler e Bernese têm maior predisposição à obesidade. Já a maioria dos felinos que adquirem a doença pertence às raças domésticas, especialmente aquelas de pelo curto.

A obesidade é definida como uma condição patológica, marcada por um acúmulo de gordura maior que o normal, prejudicando a saúde e o bem-estar do animal.

É considerado sobrepeso, quando o aumento de peso é de até 15% e quando este valor é ultrapassado, podem ser considerados obesos.

A gordura fica fácil de ser analisada quando cachorros e felinos atingem 50% ou mais do peso ideal.

Em geral, os gatos sadios tendem a pesar entre 3,5 a 5 Kg. Já cães como o labrador podem pesar até 27 Kg os machos e 25 Kg as fêmeas.

Os motivos para esse aumento vão desde a alimentação, já que, geralmente, a quantidade de ração fornecida é superior, chegando ao dobro do recomendado pelos fabricantes e veterinários, além dos excessos de petiscos como treats (snacks) e fornecimento de comida caseira.

Para combater este mal, é necessário reformular a dieta e incluir atividade física no dia-a-dia. Segundo Maurício Rocha, gerente de soluções para Pet Food da Alltech na América Latina, é importante incluir alimentos funcionais na dieta dos cães e gatos.

“Estes alimentos são naturais ou enriquecidos com vitaminas, minerais dietéticos, culturas bacterianas, Ômega-3, antocianinas, carboidratos e fibras e auxiliam a saúde intestinal, cardíaca, renal e no equilíbrio do peso.”

- Como evitar:

Todo cuidado é pouco. A questão alimentar é muito importante para o bom desenvolvimento dos animais. Uma nutrição desbalanceada pode acarretar várias doenças, além de dificuldades locomotoras, articulares, respiratórias, diabetes, hepatite e hipotireoidismo.

Com carinho, passeios e doses equilibradas de ração de qualidade, os animais viverão de forma saudável e por mais tempo. Essa é a melhor maneira dos tutores recompensarem o afeto de seus animais domésticos.

Fonte: AnimaLivre 

Lido 2328 vezes