Terça, 31 Dezembro 2013 03:48

Animais são vítimas de acidentes em zonas urbanas

Avalie este item
(0 votos)
Jefferson Leite trata animais como lagartos, onças e aves. (Foto: Eisner Soares)

Jefferson Leite trata animais como lagartos, onças e aves. (Foto: Eisner Soares)

A onça parda que andou fuçando as lixeiras da Vila da Prata em busca de alimento antes de ser atropelada por um caminhão foi um dos três animais da espécie que deixaram os recortes verdes existentes entre as Serra do Mar e do Itapeti, nos últimos tempos, para confirmar uma realidade, ainda sob controle, mas que tende a se afunilar no futuro próximo.

Espécies silvestres estão passeando por ruas, estradas e quintais de Mogi das Cruzes com mais frequência porque, apesar do gigante processo de ocupação do solo em bairros limítrofes da Mata Atlântica, a qualidade biológica de verdadeiros oásis dentro da Região Metropolitana de São Paulo, atrai onças, gatos do mato, bichos preguiça, ratões do banhado, capivaras, e muito especialmente aves raras. Aqui, esses animais possuem espaço e comida.

O crescente registro de aparições e acidentes envolvendo esses visitantes tem sido acompanhado com interesse por profissionais das áreas de biologia e veterinária nas últimas duas, três décadas. E também produz uma nova demanda na rotina dos consultórios e órgãos ambientais (Polícia Ambiental e Corpo de Bombeiros), quando a população os aciona para pedir socorro e orientação.

Desde os anos 90, o veterinário mogiano Jefferson Renan de Araújo Leite acompanha esses casos com particular interesse. Hoje, o profissional viu as mudanças de comportamento do homem para com os animais, e agora incursiona em busca de registros de espécies raras, levando uma das filhas, Ana Paula, de 10 anos.

Fonte: O Diário de Mogi

Lido 2179 vezes